Travessia Salar de Uyuni: primeiro dia na Bolívia

Travessia Salar de Uyuni: primeiro dia na Bolívia

Flamingos na laguna colorada. Travessia Salar de Uyuni

Olá pessoal!!

Quem já pensou em viajar para a Bolívia?! Eu tinha planos de conhecer o Salar de Uyuni há anos, mas vários receios me faziam adiar a viagem… Porém, nessa fase atual da minha vida, eu decidi que não adiaria mais esse sonho! Já estava passando da hora!

Junto com o Atacama (leia aqui o guia para ajudar no planejamento da sua viagem), finalmente montei essa tão esperada viagem que acabou sendo muito melhor do que eu imaginava!!

Venha comigo conhecer um pouco mais sobre esse país tão surpreendente!

Para iniciar a conversa, o ponto de partida foi a escolha da agência para fazer a travessia Atacama – Uyuni.

Quem nunca leu e se assustou com os perrengues que as pessoas passam nesse trajeto né?! Por isso é muito importante fazer uma boa escolha de agência!! Fechei com a DeNomades, uma agência especialista em passeios pela América do Sul com ótimas referências e que me passou bastante segurança.

Existe uma norma que nenhuma agência estrangeira opera na Bolívia, então todas as agências têm suas operadoras bolivianas. No caso da DeNomades, a operadora em San Pedro é a World White Travel. Vou explicar como é feito esse trâmite durante o post.

Outro ponto que deve ser considerado é o tour que irá fazer, visto que existem dois tipos: 3 dias onde você fica em Uyuni e 4 dias onde você volta para San Pedro.

Eu fiz o tour de 4 dias e vou agora começar a contar como foi todo o decorrer dessa aventura!

______________________________________
Siga nosso Instagram e fique por dentro das novidades @mochilacameraacao ! E mais fotos da Bolívia seguindo a #mochilanabolivia

Primeiro dia

Nosso primeiro dia começa por volta das 7h30 quando o pessoal da empresa nos busca no hostel, assim como os outros passageiros. A ordem vai depender da localização da hospedagem. Então o motorista nos leva até imigração do Chile ainda em San Pedro para os passaportes sejam carimbados com a saída do país e eles nos entregam um papel para entregar na migração da Bolívia. Depois pegamos a estrada para a fronteira Chile – Bolívia na região de Hito Cajon para então fazer o processo de imigração para entrada na Bolívia!

Chegamos então na aduana boliviana, que parece estar no meio do nada sem nenhuma tecnologia.. Só uma pequena casinha onde ficam os policiais que fazem o controle de entrada e saída da Bolívia. Enquanto estamos lá fazendo todo o processo, os guias da World White Travel estão preparando nosso café da manhã.

Imigração durante travessia Salar de Uyuni
Aduana boliviana

Após tomar café, muito bem servido por sinal, nos é explicado que agora estaremos aos cuidados da World White Travel e então são formados grupos de no máximo 6 pessoas que irão seguir juntos na viagem em veículos 4×4, cada grupo com seu guia.

Minha sorte sorriu nesse momento!! Eu estava com minha amiga Roberta e nos juntamos a mais 2 moças que acabaram se tornando nossas amigas. A alemã Bárbara e a chilena Bea. E ficamos só nós 4 mesmo. Para completar nosso guia, o Reinaldo, foi mais um presente nessa viagem!

Travessia Salar de Uyuni: segundo dia na Bolívia

Salar de Uyuni: o dia mais esperado no maior deserto de sal do mundo!

Ele colocou nossas bagagens no alto do carro, junto com os galões de água e pegamos estrada. O caminho é longo e esse dia seria bem proveitoso!

Preparar para a aventura começar!

Nossa primeira parada é na entrada da Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa, onde precisamos pagar uma taxa ingresso de 150 bolivianos, cerca de R$82. E atenção, guarde muito bem o bilhete porque será necessário mostrar em outros lugares que você pagou a taxa.

Entrando no parque, chegou a hora de iniciar a jornada propriamente dita com o primeiro ponto de visita da viagem, a Laguna Blanca!!

Nesse momento estamos a quase 5.000 metros de altitude! Detalhe que nessa viagem pela Bolívia, a altitude é maior que nos tours do Atacama. Então foi bom ter deixado para depois, pois já estávamos mais habituadas com a altitude.

Nosso guia nos deixa em um ponto alto para vermos a Laguna com uma visão geral e depois vamos descendo a pé até a beirada. Ali pudemos caminhar um pouco e tirar fotos!! Que lugar lindo!! A cor é inacreditável, além da visão do vulcão Licancabur no fundo dando um toque ainda mais especial! 😉

O tempo estava bem agradável, um friozinho confortável, sem muito vento e o céu parecia pintura, assim com a Laguna.

Garanta seu seguro de viagem com desconto aqui no Blog!

Dali partimos para nossa segunda parada, a Laguna Verde.

Dessa vez ficamos só no alto admirando a paisagem… Uma nova cor surgiu! São bem marcantes as cores das Lagunas, e claro, impressionante!

Aqui o chão era mais claro e por estar em um descampado, estava ventando muito, mas o tempo continuava bom!

As duas Lagunas têm vista para o Licancabur, onde se faz a divisa entre o Chile e Bolívia.

Para quem ficou curioso em saber o porquê da coloração das Lagunas, aqui vai a explicação: a Laguna Blanca possui muitos minerais que dão essa cor leitosa a lagoa. Já a Laguna Verde ganha essa cor esmeralda devido a concentração de minerais como magnésio, carbonato de cálcio, chumbo e arsênico.

Depois então chegou a hora de dar continuidade a viagem. Pegamos estrada rumo ao Deserto de Salvador Dalí, ou Desierto de Dalí em espanhol.

Saiba quanto custa viajar para o Atacama e Salar de Uyuni! Guia de gastos!

Pense numa imensidão surreal… O deserto ganhou esse nome pelas montanhas que compõem a paisagem lembrarem as obras do pintor Salvador Dalí e realmente parece pintura. Roberta comentou que a mãe dela pinta telas e que ficaria louca nesse lugar.

Passamos um tempinho tirando fotos por ali completamente apaixonadas pelas cores. Incontáveis cores… Sério, eu vou ser chata em repetir que as fotos não mostram a real belezas de todos os lugares que conheci em toda a viagem!

De trás para frente: Roberta, Bea, eu e Barbara

Do deserto pegamos estrada novamente para nossa próxima parada, Águas Termais de Polques, onde temos a opção de nos banhar nas águas quentes.

No final do post darei algumas dicas cruciais para essa viagem, mas aqui já adianto: esse primeiro dia não tem banho!! Então se quiser a chance de passar uma água, mesmo que sem sabonete, a chance é agora!! Hehe

A parada nas águas termais acontece, mas entrar na água é opcional. Quem decidir entrar, é necessário pagar uma taxa de 6 bolivianos (R$3,25) com direito a utilizar os sanitários também.

Eu fui no verão (dezembro) e o tempo estava frio, mas agradável. Claro que entrei na água! Vale a pena, sério!

A temperatura da água fica em torno de 38°C e por isso não é aconselhável passar muito tempo dentro d’água, mas você tem tempo suficiente para relaxar e aproveitar a paisagem maravilhosa da região!

Na parte de fora das piscinas termais tem um pequeno vestiário (bem simples) onde você pode trocar de roupa, mas não tem chuveiro! Sem jeitinho brasileiro, é sem banho mesmo! Hehe

Após esse momento relax, vamos continuar! Ufa, que dia hein!

A próxima parada são os Geysers Sol de Mañana, onde muitas pessoas ficam na dúvida de visitar os Geysers El Tatio do Atacama (leia aqui) porque sabem que irão visitar geysers na Bolívia. Já adianto, eles são totalmente diferentes e ambos valem a pena!

Os Geysers Sol de Mañana são fontes intermitentes de água que fluem a uma temperatura média de 90°C. Confesso que esse lugar me impressionou bastante e fiquei pensando o quão loucas nós éramos de estar ali! Hehe

Mas porque? Vocês devem estar se perguntando… Bem, nesses geysers eu me senti de verdade em um vulcão! O chão estava quente e havia lava borbulhando (vou colocar os vídeos no canal do Youtube), muito sinistro mesmo! Aqui o cheiro de enxofre é muito forte e me deu uma certa tontura. Uma mistura de adrenalina com altitude de mais de 5.000 metros!


Esse ponto é bem frio e com bastante vento, mas mesmo assim dá pra sentir o calor do chão (falei que fiquei impressionada)!

A essa altura do campeonato já estava tarde e todos com fome! Fomos direto para o Refúgio Huayllajara onde passaríamos a primeira noite para então almoçar.

Lá o nosso guia Reinaldo preparou o nosso almoço e tivemos um tempinho para deixar as coisas no quarto e descansar um pouco (já já conto mais sobre o refúgio).

Primeiro almoço

Após almoçar, pegamos o carro novamente para visitar a última atração do dia, a tão esperada Laguna Colorada!

Esse era um dos lugares que eu mais queria conhecer e não decepcionou!! A Laguna é local onde mais de 30.000 flamingos fazem seus ninhos!

Mais uma vez, nosso guia nos deixou no alto para termos uma visão ampla do lugar e pudemos descer caminhando até a encosta da Laguna!

Caminho demarcado

A visão é de tirar o fôlego, mas o vento é de carregar! Foi o ponto onde mais ventou em toda a viagem! E fazia frio, visto que já estávamos no final da tarde.

Claro que nada disso impede de contemplar esse lugar tão espetacular!

Depois de algumas fotos no alto, descemos para ver de perto aquela cor tão única! O tom avermelhado da Laguna Colorada se dá devido à concentração de algas, prato cheio para os belos flamingos e um presente para nossos olhos.

E os flamingos?! Roberta simplesmente deu um ataque quando os viu de perto! Hehe

Foram fotos e mais fotos!! E para completar, no entorno da Laguna também tinha lhamas!

É muita beleza!! É algo que dá muita paz, ver a natureza assim em tamanho equilíbrio e preservação! Parabéns Bolívia!

Após bastante contemplar o lugar, voltamos para o refúgio finalizando os passeios do dia.

De volta ao refúgio, tiro agora as dúvidas de como é a noite por lá. O refúgio fica no meio do nada, num lugar bem simples, mas organizado. Eu e minhas amigas ficamos em um quarto quádruplo. Os quartos não têm tomada, mas na área do refeitório são disponibilizadas tomadas das 19h às 21h para carregarmos as baterias dos equipamentos.

Como falei mais cedo, no refúgio não tem chuveiro, apenas sanitários e pias em um banheiro compartilhado. Claro que essas informações nos foram passadas previamente pelo pessoal da DeNomades e reforçado no dia que pagamos a viagem no escritório da World White em San Pedro.

O refúgio é realmente simples, mas fomos muito bem tratadas. Nossa janta teve sopa bem quentinha e macarronada, também tinha chá para quem quisesse antes e depois da janta.

A hora de dormir era o que mais assustava, sendo que estávamos na altitude e a madrugava prometia ser congelante. Dito e feito, fez -10°C, mas não passamos frio porque a DeNomades forneceu saco de dormir nessa primeira noite e mais as cobertas que já estavam na cama (não me perguntem se estavam limpas) ajudaram a nos manter quentinhas.

Dormimos cedo, mortas de cansaço e para nos prepararmos para o dia seguinte! (Continua)

Se liguem nas dicas:

O que levar para a viagem:

• Esquema de roupas em camadas assim como no Atacama.
• Sapato confortável, ideal ser tênis ou botas de trilha.
• Roupa de banho.
• Uma mochila ou bolsa pequena para o dia a dia.
• Óculos de sol.
• Chapéu ou boné.
• Toalha de banho.
• Saco de dormir.
• Protetor solar.
• Água (ideal levar um galão de 6 litros e uma garrafa de 1 litro e meio para o decorrer dos dias).
• Snacks (biscoitos, barrinha de cereal, chocolate).
• Papel higiênico ou lenço umedecido.

Restrições:

• Não são permitidas crianças menores de 7 anos.
• Não é permitido para gestantes.
• Não é recomendada para pessoas com hipertensão, insuficiência cardíaca, problemas respiratórios devido altitude (maior que 4.000 metros). Consulte seu médico antes de viajar.

A DeNomades:

Nos próximos posts falarei mais sobre a experiência de viagem com a agência DeNomades em parceria com a World White Travel, mas aqui eu já adianto que recomendo tranquilamente os serviços que prestaram. Por ser uma viagem onde você fica exposto a ambientes extremos, é muito importante estar viajando com uma agência confiável.

Preços:

• Preço por pessoa em temporada alta: CLP$ 150,000.
• Preço por pessoa em temporada baixa: CLP$ 135,000.

*A temporada alta corresponde aos passeios que começam do 1 ao 31 de julho, de 16 a 20 de setembro, e de 18 de dezembro a 30 de abril. As datas não especificadas correspondem à temporada baixa.

 

Espero que estejam gostando de acompanhar essa aventura!! Compartilha com os amigos, assim você ajuda a divulgar o meu trabalho e me dá força para continuar escrevendo!!

 

Leiam todos os posts sobre o CHILE 😉

 

↠ Planeje sua viagem com o Mochila, Câmera e Ação ↞
——————————————————————————————
↠ Precisando de ajuda para programar seu intercâmbio sem contratar agência? Eu posso te ajudar!
↠ Já tem seguro de viagem? Cote seu seguro com a Mondial e aproveite as promoções especiais!
↠ Reserve sua estadia pelo Booking através do Blog, você não paga nada além por isso! 
↠ Chegue no exterior com internet no seu celular com a Travel Mobile 
↠ Passagens aéreas em até 12x sem juros com a ViajaNet 
↠ Roteiros personalizados?? Pergunte-me como.
——————————————————————————————

4 Comentários

  1. Boa priminha , lugar muito bonito , desejo pra você muito mais seguidores .

  2. Alê! Adorei! Simplesmente relembrei todos os detalhes do nosso primeiro dia com o seu post! Passou um longa na cabeça! Kkkk E me diz, como não dar ataques de fofura com os flamingos?! Como?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.